Escritórios
Nova York
São Paulo
Belo Horizonte
Hamburgo
Fale conosco
oi@chatclass.com.br

© 2020 | ChatClass

  • tamismielo

Communicative language teaching: CLT nas salas de aula do Brasil

Atualizado: 19 de Dez de 2019

Antes de ser considerada uma habilidade sócio-interativa, o ensino de línguas tomava como base a cognição, e por isso era feito com enfoque na memorização. Mas desde os estudos linguísticos dos anos 60 (como os de Chomsky, por exemplo), a abordagem comunicativa ganhou espaço e hoje em dia domina as salas de aula do Brasil.


O que é a abordagem comunicativa?


A CLT enfatiza a interação como meio e fim do processo de aprendizagem, ou seja, para se chegar ao estágio final de comunicação na língua-alvo, é preciso já começar interagindo. Não adianta o estudante entrar em contato com todas as estruturas gramaticais e vocabulário da língua - o que também seria impraticável, uma vez que o domínio COMPLETO do vocabulário de uma língua é uma concepção irreal - de forma expositiva e tentando memorizar toda essa informação sem de fato usá-la, observá-la em movimento, arriscar com ela.

Além disso, essa abordagem propõe encorajar os alunos a incorporarem experiências pessoais ao ambiente e às interações durante a aprendizagem. Dessa forma, o professor ou instrutor assume um papel de guia, facilitador, por meio do qual ele apenas mostra a direção para os alunos, e não é a atração principal do momento da aula.


Como ela aparece nas nossas práticas?


Muitos de nós incorporamos diariamente a CLT nas nossas práticas em sala de aula: sempre que propomos um jogo de papéis, uma sessão de entrevistas entre os colegas da turma ou mesmo um simples exercício de speaking menos monitorado, estamos dentro de métodos que tomam essa abordagem como base.


Em momentos como esse, é possível observar como nossos alunos estão de fato utilizando o que aprenderam: na espontaneidade das interações pode-se verificar quais as dificuldades e performances deles, e, a partir daí, alcançar os problemas de maneira mais sistemática, revisando algum tópico gramatical ou apresentando um novo vocabulário, por exemplo.


Tendo em vista que, segundo a CLT, o objetivo principal do ensino de um idioma adicional é a habilidade de se comunicar na língua alvo, atividades que envolvam os aprendizes de forma oral são consideradas mais importantes que os conteúdos gramaticais, por exemplo. Ora, bem sabemos que cada turma nossa tem sua realidade, que, junto da realidade da escola, podem impossibilitar ou ao menos dificultar uma abordagem 100% comunicativa. Afinal sempre temos um livro para seguir e um cronograma para cumprir, em apenas 40/50 minutos de aula, com uma ou duas aulas por semana e um número grande de alunos por classe.


Então de que maneira podemos incorporar práticas com intuito comunicativo no pouco tempo que temos com os alunos?


Um dos nossos aliados hoje em dia pode ser a tecnologia. Com todas as ferramentas a que temos acesso, podemos tentar aproximar nossos alunos de situações mais práticas de uso do idioma, com vídeos no YouTube, jogos como o Kahoot! e com o nosso querido ChatClass, claro, por meio do qual os alunos interagem, em inglês, pelo próprio WhatsApp, com atividades de enfoque comunicativo, que incluem read aloud por meio de áudios.


Que outras estratégias e atividades comunicativas vocês usam em sala? Vamos compartilhar! Adoraríamos saber de vocês 😁


Ah, e não deixem de preencher nosso formulário aqui embaixo pra ficar sempre por dentro de todas as novidades! 👇

See you next week!




113 visualizações